Vale à pena estudar inglês fora do Brasil? – CCI Brasil – Intercâmbio Cultural

Vale à pena estudar inglês fora do Brasil?

Em um mercado de trabalho cada vez mais ansioso por habilidades, ter um segundo idioma na ponta da língua deixa de ser um diferencial para se tornar um requisito básico de muitas atividades profissionais.

Em contrapartida, com a informação cada vez mais acessível, é comum questionar a necessidade de se deslocar para ir em busca desse conhecimento, uma vez que ele está tão próximo, à distância de alguns cliques para ser mais exato!

O processo de aprendizado do inglês

O aprendizado de um idioma perpassa por várias fases, que vão desde o estranhamento total à compreensão e formação de um vocabulário extenso e rico o suficiente para permitir a interação entre as partes.

Hoje é possível vencer a barreira do estranhamento facilmente, ainda mais por estarmos rodeados de informações em língua estrangeira, que vão desde músicas e filmes a termos que já se tornaram parte do cotidiano brasileiro.

Além disso, existem muitos cursos de idioma reconhecidos no nosso país, mas, até mesmo dentro deles você encontrará a recomendação de visitar um destino no exterior. Isso se deve a um simples fator: a comunicação não envolve apenas palavras!

Existe todo um contexto que cerca a fluência em um novo idioma, e acredite, muito disso não se aprende em sala de aula! São conotações culturais, expressões corriqueiras, jargões e muitos outros detalhes que passam longe dos livros e cursos, exigindo do aluno um contato direto para que o uso dessas habilidades seja aflorado.

O intercâmbio ou experiência profissional em um país anglófono (que tem o inglês como língua mãe) serve como ferramenta para construir um vocabulário rico, e permitir que de fato seja possível se comunicar com eficiência no idioma alternativo.

Se você está considerando o intercâmbio frente a outras opções de investimento educacional, é provável que alguns questionamentos possam aparecer em meio a esse processo, tais quais: preciso mesmo ir ao exterior para aprender inglês? Será que irei de fato aproveitar um intercâmbio nesse momento da minha carreira?

A resposta para esse questionamento deve partir de você mesmo! Mas, confira essas dicas que preparamos e perceba como algumas reflexões internas podem te levar mais perto da resposta!

Identifique qual o seu nível de inglês!

Antes de fazer qualquer plano, é importante saber em qual estágio na evolução do idioma você está. Este será o ponto de partida para qualquer decisão acerca da duração do seu intercâmbio, do tipo de programa escolhido, e principalmente para definir se esse é o melhor momento para entrar de cabeça num projeto dessa magnitude.

De maneira geral, recomenda-se que o aluno tenha pelo menos dois anos de contato regular com o inglês antes de embarcar para um intercâmbio. Assim serão evitados muitos percalços que possam derivar do pouco conhecimento do vocabulário, e garante-se uma estadia tranquila, onde o foco seria o aprimoramento do idioma.

Outra perspectiva enxerga o intercâmbio como porta de entrada para o idioma, e de fato, uma experiência internacional onde se faça uma introdução ao inglês pode ser um bom incentivo para que o aluno continue seus estudos da língua estrangeira ao retornar.

Para decidir o momento certo de viajar, é importante analisar os recursos disponíveis, não apenas em dinheiro como em questão de tempo, como você verá a seguir.

Certifique-se de que pode ficar o tempo necessário!

Muita gente acaba indo com muita sede ao pote, e não alinhando de forma correta as expectativas para o intercâmbio com o programa escolhido. Isso pode resultar em frustração e dúvidas se realmente a valeu à pena.

É preciso ser claro em definir os objetivos e a partir daí certificar-se de que é possível se manter no país de destino até que estes objetivos sejam alcançados.

Não sabe por onde começar a planejar o seu intercâmbio? Nós te ajudamos!

É preciso saber quanto tempo demorará até que você possa atingir de fato a expectativa colocada em sua viagem.

Se você deseja aprimorar o idioma que você já fala há alguns anos, é possível que uma experiência de um mês seja mais do que suficiente. Se você está se preparando para um teste e proficiência como o TOEFL e o IELTS ou deseja pleitear uma vaga em uma universidade americana ou inglesa, menos de seis meses não lhe serão suficientes.

Fazer com que um intercâmbio valha a pena tem tudo a ver com alinhar as expectativas desde o momento do planejamento até a realização desse que pode ser um marco na sua carreira profissional e até mesmo na sua vida pessoal.

Já fez um intercâmbio e tem uma experiência pra contar? Comente aqui abaixo e ajude a clarear as ideias na mente de alguém.

Um abraço!

Jamile Machado
CCIBrasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *